Sobre o evento

 

1 A instituição

A UFRR é uma instituição jovem (1989), que acompanha a própria criação do estado de Roraima, localiza-se na região fronteiriça que envolve a República Cooperativista da Guiana e República Bolivariana da Venezuela. Ao longo desses 30 anos de existência tem respondido as demandas sociais no cenário regional, além de sua internacionalização.

Para atender as demandas sociais foi criado, em 2001, o Núcleo Insikiran de Formação Superior Indígena, hoje Instituto, que oferece o Curso de Licenciatura Intercultural na formação de professores indígenas, somando 860 ingressos ao longo desses anos, tendo formado 330 professores indígenas em nível superior. Com o passar dos anos, outras demandas dos movimentos indígenas de Roraima chegaram à universidade, a exemplo da criação dos Cursos de Bacharelados, o de Gestão Territorial Indígena (2009) e o de Gestão em Saúde Coletiva Indígena (2012), isso no contexto das políticas específicas no âmbito do direito à diferença, totalizando aproximadamente 700 alunos regularmente matriculados no Insikiran.

O Instituto realizou a IV Semana dos Povos Indígenas da UFRR, resultado de um esforço coletivo para reunir e apresentar a toda a comunidade acadêmica o pensamento e a produção artística, científica e cultural dos indígenas.  Nessa edição, foi trabalhado o tema Políticas Públicas de Atenção aos Povos Indígenas, propondo a reflexão de como a formação intercultural vem sendo pensada na educação superior, seja no contexto do Insikiran, seja nos demais cursos da UFRR, levando-se em conta a função social da universidade nas demandas sociais e políticas da região amazônica.

 

2 Contribuição para os profissionais envolvidos no evento

O Seminário Internacional envolveu em sua primeira edição estudantes de graduação e pós-graduação, professores da educação básica de escolas indígenas, do campo e também do contexto urbano, bem como pesquisadores e professores das instituições de ensino superior do Brasil, e também dos países fronteiriços, principalmente, da Venezuela e Guiana, e público em geral que se interessa pela temática da educação intercultural.

 Esta segunda edição, a se realizar de 8 a 11 de novembro de 2021, reunirá estudantes de graduação e pós-graduação, professores da educação básica de escolas indígenas, do campo e também do contexto urbano interessado na temática, pesquisadores e professores das instituições de ensino superior do Brasil, e também dos países: Canadá Peru e Colômbia.

A proposta do seminário é ser um espaço de socialização de estudos e intercâmbios e de  disseminação das pesquisas científicas em diálogo permanente com os saberes das populações indígenas. Com isso, o Seminário pretende ser um novo marco na formação de profissionais no contexto da educação intercultural bilíngue.

2.1 Finalidade do evento

O evento tem a finalidade de promover um debate sobre a educação intercultural bilíngue em âmbito internacional, com o protagonismo de estudantes indígenas de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores formadores, mestres indígenas de diferentes etnias que compõem a morfologia étnico-cultural de Roraima, como Macuxi, Wapichana, Taurepang, Ingaricó, WaiWai, Patamona, Sapará, Yanomami e Ye’kuana com aproximadamente 50 mil pessoas (Censo IBGE, 2010), além dos povos indígenas dos países fronteiriços República Bolivariana de Venezuela, a exemplo dos Pemón e República Cooperativista da Guiana numa perspectiva de relações e diálogos interculturais e os povos ameríndios, indígenas da América, Canadá, Peru, Colômbia, índios americanos e povos aborígines. 

 

3 Objetivos principais:

 1) divulgar a produção científica e acadêmica de estudantes e professores indígenas;

 2) divulgar a produção artístico-cultural dos povos indígenas;

 3) identificar demandas nas várias áreas de interesse dos povos indígenas na Panamazônia;

 4) promover a socialização de saberes e fazeres indígenas e sua inserção no contexto

global da sustentabilidade;

 5) propiciar o intercâmbio entre povos e culturas do espaço fronteiriço da Pan-Amazônia,

entre as diversas instituições de ensino e pesquisa científica;

 6) fortalecer os programas de pós-graduação da UFRR;

 7) incentivar os processos e diálogos interculturais no âmbito da UFRR e Universidades da Venezuela, Guiana, Suriname, Canadá, Colômbia, Peru entre outras. Com isso fortalecendo uma rede de educação intercultural na Pan-Amazônia nos processos de formação de indígenas no contexto da educação superior, além de estreitar as relações entre as instituições de ensino e pesquisa no fortalecimento da pós-graduação.

 

4 Meta

Atingir 800 pessoas entre estudantes de graduação e pós-graduação, professores e lideranças indígenas, indigenistas, professores formadores do Insikiran/UFRR e professores pesquisadores dos cursos que atuam com as políticas de ação afirmativa e educação intercultural e específicas voltados aos povos indígenas, comunidade acadêmica da UFRR em geral e demais interessados na temática indígena, professores da educação básica, pesquisadores das IES do Brasil que atuam com cursos específicos para indígenas, pesquisadores internacionais, em especial, dos países fronteiriços.

 

5 Estrutura do Evento

5.1 Conferência de Abertura.

5.2 Homenagem ao Professor Marcos Braga

5.3 Palestras e debates: todos os dias

5.4 Exposição de trabalhos científicos: apresentação em plataforma on-line.

5.8 Apresentação artística e cultural: Banda Cruviana, do Programa de Extensão Insikiran Anna

Eserenka e Dança Parichara.

5.9 Galeria de arte indígena no site do evento

 

6 Atividades/ações

6.1 Lançamento do Edital e Inscrição - (08 /09/2021)

6.2 Submissão de artigos acadêmicos (4/10 a 15/10/2021)

6.3 Divulgação dos resultados    (29/10/2021)

6.4 Divulgação dos trabalhos selecionados (29/10/2021)

6.5 Do registro do evento e produção dos anais com ISSN e DOI- (30/10/2021)

6.6 Realização do II Seminário Internacional – (08 a 11/11/2021)

7946fc1dde2b08d4f7eaea7ce0014a23.jpg